A importância da manutenção preventiva em condomínios




As manutenções preventivas existem para antecipar possíveis problemas, que muitas vezes não são aparentes na estrutura. Enquanto detalhes superficiais como rachaduras e deterioração nas áreas comuns são visíveis, existem aqueles escondidos, como encanamentos e rede elétrica.


Para evitar a necessidade de remediações no futuro, que podem ser bem mais custosas, as inspeções periódicas são cruciais. Além dos síndicos e zeladores precisarem estar treinados para perceber os “gritos de socorro” da estrutura, ainda há a necessidade de recorrer aos profissionais da construção civil.


Por isso, apesar de esses tipos de serviços poderem significar custos a mais, é importante considerar os efeitos futuros da negligência. Trata-se de riscos à saúde e bem-estar dos condôminos, funcionários, fornecedores e visitantes.


Qual o papel da administradora de condomínios nessa história?


As atribuições da administradora de condomínios na gestão do empreendimento estarão pautadas no contrato e, portanto, podem variar. Não existe um parâmetro legal que obrigue e responsabilize esse tipo de empresa sobre a manutenção predial.

Entretanto, existem dois aspectos para se considerar sobre sua atuação nesses casos: o humanístico e o comercial. Prezar pela segurança daqueles com quem você mantém relação – seja pessoal ou profissional – sinaliza que sua preocupação vai além do contrato.


E na mesma linha, essa consultoria e relacionamento próximo aos clientes se torna um diferencial competitivo. A maior força que você pode adicionar na tração do seu negócio é a solução das dores e dúvidas dos seus clientes e esse passo extra significa exatamente isso.


Clientes felizes e satisfeitos com a sua atuação são mais propícios a se tornarem promotores da sua marca. Ou seja, são indivíduos que podem indicar sua marca e gerar mais receita para você.


Os principais riscos em não realizar a manutenção preventiva


Sabendo que pode ajudar, como fazer, então, para conscientizar os síndicos e condôminos sobre a necessidade de realizar inspeções? O primeiro ponto é sinalizar os riscos e agravantes que podem decorrer da falta de manutenções preventivas.


O momento não poderia ser mais propício, o desabamento do Edifício Andrea ligou o sinal de alerta na população. No espaço de 4 dias após o incidente, o número de ocorrências registradas na Defesa Civil de Fortaleza aumentou em 86%.


Num levantamento feito pela Defesa Civil do Distrito Federal, 695 imóveis foram notificados por irregularidades na unidade federativa. 93 deles chegaram a ser interditados e 14 resultaram em desabamento.


Fonte: Superlogica.com